quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Desalfandega-me...





Este dia tinha de chegar... O dia em que as vampiras invejosas da alfândega portuguesa iam querer ficar com as minhas coisas...
Mas para já DESALFANDEGA-MEEEEEEEEEEEEEEE....






Como em tudo neste país, tudo é aleatório, vamos talvez passar as encomendas que vêm do outro lado do Mundo por um raio-x, para ver se o que vem lá dentro é uma "LOUIS VICTOR" falsificada para ser vendida a 40€, em sites irritantes de "wannabemariafutebolista", nãoooooooo, para quê?!
Vamos em vez disso, ficar com uma encomenda de uma marca internacional que vende online, legitimamente, porque de certeza que esta "pariga" que pagou por uns calções e um vestido, é uma matreira!
Esta saga começa, quando uma encomenda que fiz pela Romwe (marca que toda a gente conhece e que contrafacção não é de certeza) no dia de Natal, aquilo demora a chegar é certo mas quando passa mais de um mês, é para começar a desconfiar... Pensei que tivesse sido a minha vizinha malvada, que já me fez a graça de não abrir a porta ao carteiro e dizer que não morava no prédio ninguém chamado Catarina Tojo, engraçada a senhora não? Desta vez estava enganada, quem fez a graça de me lixar a vida foi mesmo a alfândega mas é agora que a graça da coisa começa, passo a explicar, até como forma de vos ajudar a resolver futuras situações que tenham.
Pois que eles ficam com a encomenda na esperança de nós termos de lhes pagar este mundo e o outro, só naquela de resgatar aquilo que já pagámos, porque que eu saiba ainda não há borlas online, enviam uma bonita e romântica carta para casa onde nos pedem que enviemos o comprovativo da compra, o cartão do cidadão e a respectiva carta romântica, lá foi o que fiz andei a fotografar tudo, de forma quase artística e enviei!
Problema: os computadores deles, coitados, não abrem fotografias... Lá tive eu que andar a enfiar a M#$%A das fotografias num word para que finalmente, um dia, qual D.Sebastião saído do nevoeiro, a porra das minhas coisas cheguem às minhas mãos!


Sem comentários:

Enviar um comentário